7 atitudes para uma vida feliz e saudável

    Publicado em: Blog    |    Sem Comentários

Quem quer viver melhor tem que apostar na atividade física, dieta equilibrada e menos estresse. Salte da teoria para a prática. Especialistas no assunto contam os segredos

Uma pesquisa com mais de 7 mil pessoas em São Paulo e em Porto Alegre, feita pelo Isma-BR, entidade internacional para o estudo do estresse, revelou que apenas 7% delas acreditam ter um estilo de vida realmente saudável. Mesmo sabendo que comer mal, estar acima do peso, viver sob constante pressão, fumar e ser sedentário multiplicam o risco de doenças, como o câncer e o infarto, a grande maioria simplesmente não consegue deixar para trás os velhos (e maus) hábitos.
“Eles estão muito enraizados, tanto que não basta reconhecer que são nocivos e desejar mudar para que a virada de fato ocorra”, ressalta a psicóloga Ana Maria Rossi, diretora do Isma-BR. Prova disso é que de cada dez indivíduos que começam a praticar alguma atividade física diariamente nada menos do que seis desistem antes do final do primeiro mês. É muito.
Para quem quer abandonar o cigarro a história não é diferente. Cerca de 70% dos fumantes que têm a firme intenção de deixar o vício bem que tentam, mas não conseguem. Isso sem falar em promessas que não se cumprem, do tipo segunda-feira eu começo. Os cientistas apostam em sete atitudes simples, mas eficientes, para virar esse jogo e fazer de você um vencedor quando o assunto é atingir metas para uma vida mais saudável.

Os 7 passos para mudar de vida

1. Não fique ensaiando uma decisão
É normal imaginar o que se pode perder quando se faz uma escolha. O problema é superestimar os possíveis prejuízos isso acaba minando a força de vontade de qualquer um. Tem gente que desiste de começar a fazer exercícios só por se lembrar de que terá de levantar mais cedo por causa disso, conta o preparador físico Fábio Dias, coordenador de musculação da Triathon Academia, de São Paulo. Uma pesquisa feita pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, provou que, na verdade, as coisas acontecem de maneira bem diferente. Depois que se põe em prática a decisão tomada a duras penas, percebe-se que os aspectos negativos foram bem menores do que o imaginado.

2. Concentre-se nos ganhos
Você resolveu mudar seus hábitos à mesa, o que significa controlar frituras e doces. Desanimador. Como eu vou conseguir viver sem pastel ou brigadeiro? é provavelmente a pergunta. Em vez de pensar no que você vai perder, calcule o quanto vai ganhar. Sua pele ficará mais saudável, você vai perder alguns quilinhos, sua auto-estima e sua disposição crescerão e assim por diante, ressalta a nutricionista Sheila Pasquarelli, chefe do setor de nutrição do Hospital Santa Helena, da capital paulista. Ah, um pastel ou um brigadeiro de vez em quando estão, sim, liberados. Afinal, viver de restrições alimentares não tem a menor graça. O verbo que impera na busca da saúde é controlar, e não cortar.

3. Cometa, sim, pequenos deslizes
Esta terceira atitude é um complemento da anterior. Se você viajou e se fartou de comer durante um tempo ou numa semana agitada deixou de praticar caminhada, não use isso como desculpa na linha do “nunca vou conseguir”. É preciso permitir-se verdadeiramente fugir da rotina saudável de vez em quando. Rigor em excesso só vai contribuir para aumentar o desânimo, que leva você sabe ao descontrole total.

4. Considere suas emoções
Se você está passando por um momento particularmente difícil, aí mesmo é que sonha em ter uma rotina diferente, capaz de atenuar as turbulências. Muita calma nessa hora. Vamos assumir que, apesar desse desejo, as chances de você não seguir adiante são enormes. Só quem está bem emocionalmente consegue mudar alguma coisa em seu dia-a-dia, garante a psicóloga Ana Maria Rossi. Um estudo conduzido na Universidade do Sul da Califórnia, nos Estados Unidos, reforça esta relação: pacientes com lesões na área cerebral responsável pelo controle dos sentimentos não conseguem traçar metas e cumpri-las.

5. Cuidado com a pressão social
Não caia na besteira de tentar transformar seu corpo só porque alguém disse que você está acima do peso ou precisa ganhar músculos fortes. Busque o autoconhecimento e descubra o que está errado na sua rotina, isso sim. Evite as interferências alheias. Quando tentamos mudar para agradar aos outros e não a nós mesmos, o fracasso é quase inevitável, opina a psicóloga Ana Maria. Também não se desvie dos seus objetivos por mais que isso pareça difícil. Quem já tentou diminuir as doses de álcool, por exemplo, sabe como os amigos são persuasivos e querem convencê-lo de que mais uma tulipa de chope não vai fazer mal nenhum.

6. Comemore cada bom resultado (por menor que seja)
Quanto mais o objetivo traçado estiver perto do seu alcance, maior será o estímulo para alcançá-lo. Digamos que você se propôs transformar radicalmente a dieta, mas tudo o que conseguiu foi cortar os alimentos gordurosos. Não pense nisso como uma derrota, mas sim como uma grande vitória parcial. O próximo passo será excluir outros inimigos de uma refeição equilibrada e assim por diante.

7. Tenha sempre uma segunda opção
Às vezes o resultado de nossas escolhas fica muito aquém do que esperávamos. Entrar na academia não foi uma boa idéia? Nesse caso, procure praticar um outro esporte, em vez de se assumir um sedentário inveterado. Você precisa emagrecer, mas não está gostando de fazer dieta? Aumente seu gasto calórico, fazendo mais exercícios, encontrando a modalidade que mais bem se encaixe em seu estilo e sua personalidade, recomenda o preparador físico Fábio Dias. Não é porque o primeiro caminho não funcionou para chegar lá que você irá desistir, não é mesmo? Pense assim.

Fonte: Saúde Abril

Tag(s): ,

Faça um Comentário

Você deve estar logado para postar seu comentário.

© 2015 Pacific SPA - Todos os direitos reservados